PORQUE MONOGRAFIA?

Uma monografia é um livro que cobre extensivamente um tópico específico. É uma das obras científicas e é projetado para existir por si só, não tem extensões, embora é claro que existem exceções feitas em vários volumes.

Esta publicação apresenta a pesquisa científica, novas informações que afectem o progresso do autor em um campo particular de acção e na sua carreira, é uma biografia de uma pessoa ou uma coleção de obras vivas de um artista, fotógrafo …

Exceto através da exposição (se você é um artista) ou através da revista científica se um cientista, de que outra forma o seu público-alvo tem a oportunidade de ver todos os seus trabalhos em um só lugar quando eles desejam? Por essa razão, consideramos que a monografia, isto é, a fotomonografia, é uma maneira ideal de consolidar o trabalho de sua vida.

COMO SABER?

Como em qualquer livro, o título é um segmento chave. A recepção é uma foto bem selecionada e precisamente selecionada em combinação com uma ótima fonte e um título direcionado, o que tornará sua página de rosto mais desejável e notável. O conteúdo da monografia em si, ou seja.

Fotomonografia é o trabalho de sua vida que já dá peso. Fotos de alta qualidade, que também deve ser perfeitamente tratadas, texto interessante que o acompanha, moderada ou títulos expressos (não querem a atenção para os trabalhos concentrar-se na fonte), papel habilmente selecionado, capa dura …

O QUE É NOSSA OFERTA?

Assim como na impressão de livros, em muitos anos de seu trabalho e tradição, a Impressora imprimiu vários títulos de monografia e fotomonografia. Há todos os tipos de papel que você pode imaginar, capa dura e mole, costurado, colada ou encadernação em espiral, coluna reta ou curva, com lona, ​​vinil, seda ou presvalkom papel …

Solicite uma cotação para o serviço de impressão de seu trabalho científico e estilo de vida monografis em nosso site. Monografia Jubilee algumas escolas primárias que estão conosco são chamados por um herói comunista da Segunda Guerra Mundial são publicados principalmente por ocasião dos setenta, sessenta ou cinquenta anos de sua existência. Eles se assemelham a bolos de aniversário feitos de vários latidos.

Um “koru” consiste em diretores; eles não são algo grosso por causa do diretor O. Š., Com todos os seus assistentes, não havia muito.

Além da “crosta amarga” do diretor, há também tubarões dedicados a alunos, administradores e outros trabalhadores idosos e atuais. O “latido” cigano é uma doçura – os ex-alunos acrescentaram-lhe o aroma de nostalgia e uma pena pela juventude.

No entanto, o latido mais interessante é dedicado ao chamado pessoal docente. Professores, professores, professores com suas biografias estão incluídos nesta seção, que geralmente são preenchidos com todas as funções que eles executaram fora da classe. E não seria nada incomum ser exagerado em tudo isso.

Porque, na verdade, soa cômico quando gravou que alguém era “o vice-diretor da celebração dos 100 anos da Cruz Vermelha” ou quando hoje mencionado uma variedade de funções, principalmente políticos do antigo sistema socialista, que já não existe (Delegado SIZ, membro do Comitê Executivo SIZ, delegado da assembléia municipal, vice-presidente dos conselhos locais, membro do conselho municipal de professores …).

Mas, por outro lado, as monografias não têm servidores, adolescentes e cozinheiros, que eram “instituições” escolares.

De tudo o que podemos concluir que o estilo burocrático de monografias escritas, dizendo que as pessoas se preocupam mais com a sua promoção social e reconhecimento, mas para os alunos em que todos juram.

Vai escrever monografia ocasional dedicada ao jubileu algumas fábricas, instituições ou escolas será uma espécie de reescrever o passado ou o seu espelho verdadeira depende principalmente do próprio, seus associados e financiadores autor,

O autor não deve ser autorizado a usar a monografia para acertar as contas com os indivíduos com quem ele ou ela estava relutante ou que “lhe devia”. Além disso, espera-se que tal autor da monografia contate a equipe atual de gerenciamento (diretor, chefes, chefes). Isto é melhor conseguido com a ajuda de fotos.

Aqueles indivíduos que indicarão o colocarão se precisarem de uma foto em uma em toda a página. E aqueles “inadequados” nem sequer mencionam.

Portanto, uma monogamia que deveria ser um espelho de todos os eventos e personalidades importantes que funcionaram ou foram educados pode facilmente se tornar um marketing pessoal por parte dos autores e daqueles a quem ele deseja expressar gratidão.

Prana Yoga Xtreme

prana yoga oficial

Há alguns meses participei na minha triatlo Prana Yoga Xtreme 21 do Sergio Bertoluci na academia autoridade fitness mais longo até o momento: O Sailfish Costabrava distância Short, como já foi apelidado eles, distância Baleia; com 1900m de natação, 48km de bicicleta e 10km de corrida. Para alguns pode parecer algo fácil, e a outros, igual a mim, um desafio.

Eu nunca fui um grande atleta, mas há um ano eu me encorajei com o triatlo e fiz algum triatlo sprint. Este ano queria aumentar a distância e sabia que, se queria superar o meu desafio com conforto e dignidade, deveria treinar com tempo suficiente, fazer o bem e, obviamente, comer bem.

No que diz respeito à alimentação diária não tive que esmerarme, comer de forma saudável não é um problema para mim. Como é lógico, é algo que eu gosto e está totalmente ligado à minha profissão.

Além disso, adoro as frutas e os legumes, produtos integrais parecem-me mais saborosos e não me supõe um problema lembrar de combinar os alimentos corretamente para que as refeições sejam completas , com uma porção de carboidrato, uma proteína e um bom prato de legumes.

Em casa de ferreiro, espeto de pau: O primeiro erro da nutricionista aspirante a triatleta

Algo que em um princípio não pensei, foi que durante a época minha dieta tinha que ir mudando. Se a quantidade de exercício aumenta o aporte de calorias também deveria tê-lo feito.

Ao ver as planificações que me pautaba o treinador deve ter calibrado bem a minha dieta e planejado a minha alimentação com as alterações necessárias, com o tempo.

Em consulta sou realmente muito pesada neste sentido, lembro-me insistentemente aos meus atletas que me avisem quando aumentar a carga, peço que me passem seus plannings de treinamento por se adaptar as quantidades, que me avisem se ficar com fome, se eles estão mais cansados do que o habitual x21…

Em troca, comigo não o que eu tinha em mente. E como eu percebi? Porque passei fome! Durante alguns dias tinha mais fome do que de costume, até que resolvi o problema.

Você já teve alguma vez a sensação de que a fome nunca acaba? Lembro-me que durante um tempo pequeno-almoço, o de sempre e às 2 horas sentia meu estômago completamente vazio, comia e pouco tempo depois, outra vez o estômago volta a rugir…

Até que percebi que não estava comendo o suficiente, então que recalculé as calorias que ele precisava, em função do treinamento e incrementé a ingestão de carboidratos para ter energia que me faltava. Desta forma, a minha sensação de fome infinita, o cansaço e a recuperação após os treinos, melhoraram.

Sem surpresas no dia da competição Prana Yoga

Durante a temporada há algo muito importante, algo que toda a nutricionista esportiva deve lembrar aos atletas: testar a hidratação e a nutrição nos treinos. Testar todos os alimentos, géis, barras e isotónicas que querem consumir no dia da competição.

E conseguir habituar-se ao consumo constante de líquidos e alimentos, usinagem de todo o processo para que no dia da competição saia perfeito.

fazer exercício de yoga

Neste sentido eu quis ser um exemplo e passar da teoria à prática, experimentar tudo o que era necessário e com a previsão suficiente para realizar retificações. Mas o processo foi mais complicado do que pensava. Eu coloquei na situação:

Estrené a minha primeira bicicleta de estrada no ano passado, com o que eu comecei como novata total a rolar pelas estradas. A princípio, poder seguir o grupo de yoga prana, era a minha prioridade, não podia plantearme o fato de soltar as mãos do guidão enquanto circulava, aproveitava os semáforos para beber e os momentos de reunião e espera de algo para comer.

Mesmo assim, mais de uma vez voltava para casa, depois de 2 a 3 horas, com o barril praticamente cheio e todos os géis bem guardados no maillot pensando, anda, se você vê algum de seus atletas que se vai dizer”.

Quantas vezes terei dito a um triatleta o que come e bebe na bicicleta marcado como vai a correr”, a bicicleta é o seu momento, não há impacto, você tem tudo à mão, você tem que aproveitar para repor e gastar o mínimo glicogênio, mas, na corrida, você vai pagar”.

De fato, meus companheiros de equipe me chinchaban dizendo: Laia, levamos 2 horas, não deveria ter terminado os dois tambores que você está vestindo?”.

A importância de personalizar os padrões nutricionais

Com o tempo fui melhorando meu hidratação na bicicleta, apesar de não cobrir as necessidades padrões, de fato, descobri que as minhas necessidades de hidratação não são as normas. Através de pesagem antes e depois dos treinos, eu verifiquei que as minhas perdas de água, como é comum em mulheres, são baixas.

Generalizando, a perda de líquido é geralmente de 1 litro a cada hora, no meu caso é de cerca de 500ml e de acordo com o calor um pouco menos. Com isso, não me é extremamente complicado consumir o que perco.

O segundo erro da nutricionista aspirante a atleta

Por fim, veio abril e com o calor a primeira competição da temporada, o meu primeiro triatlo olímpico. Cheguei a este triatlo sem ter feito nenhum teste de suplementos na carreira.

Bom, isso não é bem verdade, não tinha testado nada nos treinos da temporada, mas o que eu tinha feito na temporada passada, quando me preparava para correr uma meia maratona e uma corrida de montanha.

Di é claro que o que tinha me sentado bem então, eu me valia para o triatlo. E o que passou no dia da competição? Segundo erro tipográfico, fazer algo que não tinha testado. Eu passei de lista, como eu sabia que beberia menos do que devia, eu coloquei o dobro de pós isotónico em um único barril.

Eu pensei que, como mínimo, que abrange o açúcar e o sal. O resultado foi que estava ruim péssimo, por que a bicicleta que eu bebi menos do que devia, a cada gole era um horror.

Eu deixei a bicicleta no T2 e peguei a jujuba que eu tinha deixado preparada na bamba de run. Eu a guardei no tritaje com a intenção de consumi-la no km 5 e a correr. Como vedes, o planejamento mental tinha clara, mas no momento da verdade, a jujuba acabou banida para the para a lixeira. Sim, eu joguei.

Sinceramente, me achava incapaz de comer nada e menos de mastigar algo. Tinha o estômago revolto e as pulsações topo a topo, com o que comer não era viável.

x21 sergio

Posteriormente, ao rever as diretrizes, dei-me conta que a intensidade de uma corrida de montanha no meu caso, na meia-maratona, não eram altas, os ritmos me permitia comer e beber sem problema.

Isso não é assim em um triatlo distância Olímpica Sprint. Com a intensidade da corrida, todo o tempo que havia decorrido desde o encetamento da manifestação, com a sensato desidratação e os nervos assento, o fole se me fechou e narcisismo recusa tive outra vez emenda que acrescentar correndo no prana yoga com homogêneo taça desde nível no máximo a compostura dentre começo 21extreme!

Primeiro artigo

Esta doença neurológica é causada por pequenos derrames que matam neurônios.

Neste artigo vamos nos concentrar na demência vascular demência multiinfarto, uma doença com graves efeitos sobre o cérebro.

O que é a demência vascular?

Entendemos como demência vascular uma forma de distúrbio neurológico, cujo sintoma mais importante é a perda de memória e de habilidades memorísticas e que, além disso, foi causada por problemas isquêmicos no cérebro.

Em suma, a demência vascular, a deterioração das capacidades cognitivas, motoras e de regulação das emoções ocorrem por causa da morte de grandes quantidades de neurônios e células gliais, que, por causa de pequenos derrames, ficam sem oxigênio.

Assim, a principal causa desta doença são os acidentes vasculares cerebrais, embora estes também estão associados a factores de risco a ter em conta.

Fatores de risco

tecnicas de negociação

A presença de diabetes, de hipertensão arterial é um dos principais fatores de risco, já que as pessoas que apresentam estas condições apresentam maiores chances de desenvolver demência vascular.

Por outro lado, o tabagismo, o alcoolismo, os altos níveis de colesterol no sangue, doenças auto-imunes e, em geral, a pertença à classe socioeconômica baixa também fazem com que as possibilidades de desenvolver esta doença cresçam significativamente. O passo por cirurgias complexas em que se utiliza anestesia geral, por outro lado, também é um fator de risco.

No que diz respeito à idade, o grupo mais ameaçado é o que tem de 50 a 60 anos, seguido por o que vai de 60 a 70. No caso dos homens, o risco é maior, já que esta é uma doença que afeta mais os homens.

Sintomas e sinais

Os sintomas da demência vascular podem variar muito, já que as áreas do cérebro afetadas por acidentes isquémicos também são muito variadas. No entanto, é possível reconhecer certos padrões de deterioração que serão reunidas em uma grande quantidade de casos em que o paciente apresenta esta doença. Estes sintomas são os seguintes.

1. Abulia

As pessoas com este tipo de demência tendem a ficar ensimismadas e a falta de força de vontade, de motivação, um fenômeno conhecido como incapacitantes. Isso faz com que, em certos casos, podem chegar a parecer pacientes com distúrbios associados à depressão.

2. Confusão e desorientação

Os problemas na hora de saber onde e em que momento se encontra também são comuns. A ocorrência desses momentos costuma ser forte, e vão piorando com o passar do tempo. Estes episódios podem aparecer na forma de surtos, que desaparecem em questão de minutos, mesmo com o aumento da idade começam a ficar mais longos e mais comuns, até que chegam a ser a condição psicológica normal da pessoa.

3. Mudança de personalidade

Este é o sintoma que mais se queixam os familiares dos pacientes. Em pouco tempo, as pessoas com demência vascular podem passar a apresentar uma personalidade significativamente diferente da que lhes foi definido durante toda a sua vida.

4. Quedas frequentes e alterações na marcha

As alterações na postura e a falta de coordenação dos movimentos também são dois sintomas típicos que aparecem quando o curso da doença já progrediu após as primeiras fases de deterioração. Isso faz com que essas pessoas caiam com maior freqüência.

Tipos de demência vascular

A demência vascular é um conceito clínico que não é composto por doenças idênticas entre si. É por isso que se estabeleceu uma série de categorias, tipos de demência vascular, para saber distinguir as características do problema de saúde que sofre cada paciente. Estas categorias diagnósticas são as seguintes.

Doença de Binswanger

Também conhecida como demência vascular subcortical, nesta doença, o tecido celular que ficou afetado pela falta de oxigênio é o conjuntivo, isto é, o que compõe a substância branca situada abaixo do córtex cerebral.

Este transtorno costuma estar associado a problemas de agilidade mental e de linguagem, bem como da memória, mas os sintomas precisos dependem do corpo e o hemisfério do cérebro que tenha sido afetado. Os problemas na regulação das emoções é também relativamente comum.

Demencia vascular cortical

Nesta doença, as células mortas que estão situados no córtex cerebral. Em muitos casos, a falta de irrigação sanguínea foi gerada por trombose por embolia cerebral que afeta a áreas relativamente pequenas.

Esta categoria é usada para incluir nela os casos em que a doença pode ter sido causada por processos degenerativos que ocorreram em paralelo, como diferentes tipos de demências e/ doença de Alzheimer.

http://www.jusromanum.com.br/